Vodum da Hennu (Família), do To (país) – Sociologi

vodun

HENNU designa a família, a primeira unidade da organização social. É uma comunidade co-sanguínea,unida por um único ancestral,com as mesmas proibições alimentares e morais, e que cultua Voduns e divindades aos quais é leal.
TO é um agrupamento de várias famílias ou muitos Xwe (ruê – parentes próximos).
Como na hennu, também existe uma hierarquia de proibições (tosu) prescrita pela prática sagrada (SIN), Vodum (s) protetor(s) e sacerdotes dedicados ao culto.
Aqui, mais que um nível familiar, a influência recíproca dá autoridade política e religiosa aos parentes. Sempre é o Vodum que prevalece na consagração de chefes habituais e geralmente os oráculos do Vodum também são irrevogáveis: devido ao medo que eles inspiram, provam um aumento mais fácil do controle do social.
Desta maneira, na sociedade tradicional, uma categoria social sem seus Voduns está frágil e destinada a desaparecer. Deve-se notar aqui que, à parte do ético ou do Vodum interético, a maioria dos Voduns são mais eficientes quando eles são de origem estrangeira, em outras palavras, importados. De fato, com estes exemplos, o papel funcional do Vodum nos fará admitir uma dimensão instrumental do fenômeno.

Caso copie o texto dê créditos ao blog:

Sacerdotisa Andreia Camargo Entrelinhas ( http://www.andreiacamargo.wordpress.com )

Vodum e o Monoteísmo
Identificando o Vodum como um fetichismo de idolatria ou um animismo supersticioso, alguns etimologistas chegaram à conclusão de que o culto ao Vodum é perfeitamente a ilustração do politeísmo.
Isso talvez seja verdadeiro se tiver como referência o panteão dos deuses gregos. Mas, em qualquer analogia explorada e dentro de certas proporções, até mesmo um deus desconhecido, ao qual um templo em Atenas foi dedicado na epoca do Apóstolo Paulo, não tem o mesmo valor que o MAWU do sul do Benin, a quem nenhum culto é
feito mesmo que chamado por todos os sacerdotes de todos os Voduns.
Na verdade o fenômeno do Vodum tem um único objetivo, embora com uma multiplicidade de expressões e manifestações na imaginação coletiva das pessoas. O culto feito para as divindades conhecidas como Vodum é um atalho ao Deus verdadeiro, cuja revelação ainda está faltando. Devido a isso, é para este Deus que todo culto é dirigido, toda adoração é feita a Ele. Assim, na mesma maneira é o grande Deus que criou todos os homens e todos estes Voduns, e deu ao homem estas divindades como intermediários. Devemos notar que há alguma dificuldade para que seja aceito Jesus Cristo como o único mediador entre o homem e Deus, deve ser notado que os termos desta comparação estão desproporcionados:
CRISTO está além dos modelos. Está claro que continuar falando de politeísmo no contexto Vodum está fortemente correto, ainda que pareça ser um monoteísmo poliedral, que indique um ativo relacionamento com o cosmo, natureza e o fenômeno da morte da existência humana dentro de um contraste com a relação direta com Deus. Ninguém pode dizer absolutamente que estamos na presença de um panteísta (Deus em todas as coisas), sendo um tanto PAN-INTOEIST (todas as coisas em Deus). Neste estágio não estamos distantes de retirar a convicção cristã de um único deus. Mas isso
não é nada mais que uma apologia do Vodum, o qual não seria ingênuo e enganador se o Vodum estiveste limitado a esta substância positiva que o caracteriza.

Caso copie o texto dê créditos ao blog:

 Sacerdotisa Andreia Camargo Entrelinhas ( http://www.andreiacamargo.wordpress.com )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s