Candomblé dos dias de hoje: O que pode ou não pode?

sobo

Kolofe mãe Andreia
Sou Ekedji Nilda de Xango sou de Ketu
Gostaria de perguntar se há necessidade de despachar em estradas e cachoeira as oferendas dos orixás e se podemos modernizar sem feri o sagrado dando aos nossos deuses oferendas na casa do santo e depois despejar no lixo? Seria ofender o sagrado? Outra coisa que ando vendo que antes a navalha que raspava o iniciado era a do pai de santo ou a da mãe de santo hoje todos são raspados com a navalha virgem no tempo antigo a navalha do pai de santo era que raspava todos os filhos. Sobre a abertura do obi estão abrindo com faca antes se abria diferente. Recolher apenas uma semana e não pagar os 3 meses de kele é correto na sua opinião quanto um pai ou mãe de santo cuidar do marido e da esposa pode? Agradeço pela sua atenção peço sua abença e sou sua fan amo muito o trabalho que a senhora faz e já comprei três livros seus o Livro dos deuses vodum, Os ebó secreto e o Candomblé pergunta que eu respondo. Todos livros ótimos a senhora esta de parabéns.
Kolofe mãe.

Sacerdotisa Andreia Camargo Responde:
Ekedji Nilda meu pai Bessem que lhe abençoe, Abença ekedji.
A questão das oferendas: “Depende muito dos segmentos que existem alguns enterram outros levam para a natureza e seja qual for nenhum dos dois fere a natureza se for entregue em folhas, sou a favor em jogar no lixo garrafas de bebidas e objetos irrelevantes, o povo do candomblé deve entender que nossa religião é o amor pela natureza e suja-la agredi-la vai contra tudo que pregamos, devemos trocar os alguidares por folhas e o liquido da bebida deve ser despejado na terra a garrafa colocada no lixo. Mas colocar a oferenda no lixo sou contra pois aquele alimento foi energizado, orado e obviamente esta concentrada toda energia feita através de rituais seriam ir contra mão jogar tudo no lixo não acha ekedji? Cada segmento deve direcionar as suas oferendas onde a energia no caso o vodum, orixá e o Nkice diz onde quer que coloque. Abro e fecho parentes (lembrem-se que a terra recebe de bom agrado e agradece ser fertilizada).”
A questão da navalha: “E uma questão de higiene e sou a favor de cada um ter a sua individual pois com todas as doenças que existem tenho certeza que o sagrado não quer fazer ninguém jogar roleta russa isso não se pode abrir mão é uma questão de saúde.
Sobre a abertura do obi estão abrindo com faca: “Eu sempre abri o meu com a mão e nos rituais igualmente se alguém anda abrindo diferentemente é uma questão de aprendizado aliás outro dia estava comentando sobre esse assunto o que eu aprendi meus ensinamentos vem da antiga e nunca vi esse tipo de procedimento dos meus mais velhos do povo antigo o meu eu abro na mão da forma que aprendi.”
Quanto a Recolher para ser iniciado apenas em uma semana e não pagar os 3 meses de kele: “Eu sou contra e nao entendo como conseguem fazer os fundamentos em tao pouco tempo eu chego a uma unica conclusao que muitos rituais estao sendo cancelados porque matematicamente é impossivel iniciar alguém em 7 dias, temos muitos rituais oros a serem feitos que muitas vezes um mês não dar para termina-los sendo muitas vezes preciso ir muito além.”
Correto na sua opinião quanto um pai ou mãe de santo cuida do marido e da esposa? “Eu digo que sim, pode e deve, isso não impede do mesmo sacerdote ou sacerdotisa cuidar de um casal, esse impedimento foi criado no Brasil digo que é até melhor não há kizila. Quando marido e esposa comungam na mesma roça é bem melhor em todos os aspectos.”
Muito Obrigada por adquirir meus livros Ekedji e pelas suas perguntas é um prazer dividir com todos o pouco que sei.
O Rei Dan é vivo.
Dangbe Gbenoi

2 comentários

  1. Sacerdotisa, sua benção! Meu marido é babalorixá e eu sou ekede. Ele pode fazer as coisas pro meu santo (matar, me dar borí, ebó e etc…?

    1. Kolofe ekedji.
      No candomblé NÃO PODE seu marido cortar para o seu santo ou colocar a mão em seu Ta (ori). Mas vocês podem participar de uma mesma casa de santo sem menor problema. Não ha kizila em você ter a mesma sacerdotisa ou o mesmo sacerdote. Sabemos que na Africa é comum um sacerdote cuidar da esposa e de toda familia, mas o candomblé é uma religiao brasileira de matriz africana, por tanto para o candomblé isso seria um incesto muito grande. Nossos ancestrais não aceitariam isso de maneira nenhuma. Tudo que fazemos dentro do candomblé independente de nação devemos reverenciar aos nossos antepassados que nos deixaram como herança ensinamentos e fundamentos passados oralmente, na hora do ipade, ou no zandro, etc…Por tanto no candomblé é um impedimento tal procedimento.
      Espero ter ajudada ekedji e muito obrigada pela sua participação!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s