O livro escandaloso de Gustavo Álvarez Gardeazábal que aborda as sujeiras da igreja católica.

galz.jpg

A fé não é negociável. Nunca duvidei da existência de uma energia universal que a minha crença é o próprio Deus. Mesmo nos momentos mais vergonhosos da Igreja Católica nas últimas décadas, e estudar o papel macabra de certos hierarcas na história da humanidade, através da Inquisição e os degenerados família Borgia.

Hipocrisia, crime, cumplicidade, inveja, ganância, luxúria e outros baixeza humana, fazem parte das vidas de alguns “representantes de Deus na Terra”, o que mostra que eles são indivíduos com fraquezas e imperfeições e não onipotente, como eles querem acreditar aos paroquianos.

Escritor colombiano Gustavo Álvarez Gardeazábal, que é mais conhecido pelo sobrenome de sua mãe, não só coloca o dedo sobre ele, mas investiga a ferida com seu livro “A missa terminou”, onde, usando um conjuntos de vocabulário diretos com gravidade e crueza da crise moral da Igreja, mostrando certas curas para o que são, pecadores mundanos.

Esta radiografia Gardeazábal atravessa a linha tênue entre ficção literária e a realidade da Igreja Católica, introduzindo as vidas fétidos de alguns clérigos, que usam a igreja como um abrigo para cobrir seus instintos mais básicos. Em parte por causa dessa cumplicidade, a instituição está infectada com pedófilos.

O autor narra a relação homossexual de um casal de sacerdotes cujas vidas se cruzam pelas causalidades e conta paralela das intrigas e meretricious eclesiástica de certos bispos e até cardeais, que fere suscetibilidades por trás das muralhas do Vaticano, porque suas histórias pode estar relacionado com com o próprio Papa Francisco e sua posição contra a homossexualidade dentro da igreja.

Eu fiz duas leituras de “A Missa terminou”. O primeiro fiquei envergonhado, quase agachado, porque eu ouvi críticas ultrajante qualificado como livro pornográfico. É forte, mas não se torna vulgarmente obsceno.

Eu li-o uma segunda vez, superar os traumas trazidos do passado. Tudo porque, como um adolescente, descobri a obra literária de José María Vargas Vila, outro escritor colombiano censurado por controversa porque ele era supostamente “defensor do pecado” e que ganhou um lugar no Index Librorum Prohibitorum (Índice de livros proibidos) que a Igreja Católica descrito como prejudicial à fé, a repreensão que durou até 1966, quando Paulo VI decidiu eliminá-lo.

Naquela época, a censura acendeu minha curiosidade e li toda a obra de Vargas Vila, de maneira “clandestina”. Gardeazábal tem o privilégio de escrever em um período de mais liberdade. Na época da inquisição, ele teria sido acusado de ser um herege e teria sido queimado na fogueira com as bruxas.

O livro de Gardeazabal não é uma proclamação de heresia, mas um registro histórico de uma verdade que não pode ser escondida e, embora alguns a considerem um sacrilégio, é uma ficção traçada a partir da realidade.

Talvez em alguns parágrafos ele blasfemou quando um dos personagens sodomizou Cristo com seus pensamentos. São excessos que são perdoados aos escritores, embora os católicos autênticos não o façam.

Muitos hierarcas acreditam que protegem a sujeira insultando e ameaçando Gardeazabal, um escritor que por sua vida não se importou com o que eles dizem sobre ele. Ele nem sequer escondeu sua homossexualidade quando muitos se esconderam no armário.

Gardeazábal não é crente. É óbvio. Eu o repreendo por não enfatizar as boas curas que a Igreja também tem. Eu enfatizo a caneta lúcida do meu amigo admirado que, no entanto, deixa um gosto amargo sobre esses tempos espinhosos que a Igreja Católica atravessa, forçando muitos a professar outra religião ou incitando-os a seguir os mesmos passos imorais de seus guias espirituais através do pecado.

Comprar o livro: La misa ha terminado
Libros y editores

Autor: Gustavo Álvarez Gardeazábal
Editorial: Ediciones Unaula
Edición: Primera, 2014
Formato: Libro
Rústica, 15 x 23 cm
217 Páginas
Peso: 0.305 Kg
ISBN: 9789588366906
Texto original em Espanhol: de Raúl Benoit. En Twitter @RaulBenoit
Univision

Leia mais:

Entrevista do escritor Gustavo Álvarez Gardeazábal no site Águas da vida

Os crimes cometidos na inquizição da igreja católica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s